Produção mundial de arroz deve ser 3% menor

Estoques elevados fizeram o preço cair em todas as cidades brasileiras na safra anterior

A redução na área de plantio nos principais países produtores deve fazer a produção mundial de arroz cair 3% neste ano, estima a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Países que estão entre os líderes nesse plantio como Índia, Bangladesh e Filipinas reduziram a área plantada. O Brasil foi pelo mesmo caminho com uma queda de aproximadamente 2%, de acordo com a CNA.

A safra passada teve boa produção, entretanto, muitos agricultores tiveram que comercializar o produto por valores baixos e atualmente estão descapitalizados. O preço da saca de 50 quilos ficou abaixo dos R$ 36, segundo a entidade. Em 2017, obteve-se a maior safra desde 2009, com 12,3 milhões de toneladas, e os produtores enfrentam a concorrência dos importados, que chegam com preços mais competitivos já que têm custos menores, segundo a confederação.

Neste ano, a CNA calcula que os custos da produção no Brasil devem subir entre 5 e 7%, principalmente devido aos aumentos no custo de energia elétrica, mão de obra e combustível. Ainda assim, estima que o preço da saca de 50 quilos deve se manter próximo a R$ 40.

De acordo com os levantamentos do Dieese, a baixa demanda e os estoques altos fizeram o preço do arroz no varejo despencar em todas as cidades no ano passado, com destaque para Cuiabá (-30,87%), Belém (-17,71%) e Vitória (-17,54%).