Preços das frutas devem ficar mais atrativos em 2018

Clima e reação da economia favoreceram a oferta de hortifrutícolas em 2017, com queda de custo de 7,71%, segundo levantamento da Ceagesp

A avaliação da Ceagesp é de que 2017 foi um ano favorável para o abastecimento de hortifrutícolas, ajudado pelo clima propício e pela reação da economia. Para este início de ano, a previsão é de que as fortes chuvas podem prejudicar significativamente a produção de hortaliças resultando em problemas na qualidade e reduzindo o volume ofertado. Para as frutas, a avaliação da central de alimentos é de que apresentem boa oferta e preços menores em comparação aos praticados no ano passado.

De maneira geral, os preços de frutas e legumes registraram queda em 2017, de 7,71% e 1,43%, respectivamente, de acordo com levantamento da Ceagesp. Entre os produtos cujos preços mas caíram estão: coco verde (-38%), manga palmer (-32,5%), banana nanica (-28,2%), laranja pera (-28,2%), mandioca (-54%), chuchu (-39,8%) e mandioquinha (-31,1%).

Já as verduras tiveram alta de 11,73% nos preços. Apesar da importante redução nos valores no atacado do coentro (-49,3%), rúcula (-21,1%) espinafre (-18,9%) e brócolis (-13,55%), outros produtos tiveram alta expressiva como escarola (53,5%), repolho (32,7%), alface crespa hidropônica (18,3%) e acelga (15,0%). Também tiveram aumentos relevantes o limão taiti (156,4%), o mamão havaí (59,5%) e o mamão formosa (24,8%), o pimentão verde (63,8%), a abóbora seca (52,4%), o tomate maduro (42,6%) e o tomate salada (32,6%).