Almoço de Páscoa vai ficar mais caro

Levantamento da Fecomercio SP mostra alta nos itens usualmente utilizados nos pratos que levam pescados

Uma pesquisa realizada pela Fecomercio SP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo) constatou que os tradicionais pratos que levam pescados preparados especialmente na Semana Santa, que neste ano vai de 25 a 31 de março, e na Páscoa (1º de abril) devem pesar mais no bolso do consumidor. O levantamento detectou alta superior a 40% nos preços considerando o período de doze meses.

O tomate e a cebola lideraram os aumentos, segundo a pesquisa da Fecomercio, com variação de 48,26% e 27,18%, respectivamente. A batata inglesa ficou 18,2% mais cara e os pescados estão custando, em média, 2,5% mais. O brócolis foi o produto que apresentou menor reajuste, 1,48%.

MAIS GENTE PARA ATENDER
A projeção da entidade é de que serão contratados em todo o estado de São Paulo aproximadamente 2 mil funcionários temporários para atender a demanda do período de Páscoa, contratação feita particularmente pelos hipermercados. Ainda assim, o número é inferior aos registrados em 2014 e 2015 quando foram contratados perto de 3 mil temporários.