Os brasileiros gostam de biscoitos secos e doces

Na verdade, as mulheres entre 30 e 39 anos, casadas e mães de família são as que mais compram esse tipo de produto

Doces ou salgados, os biscoitos tradicionais secos foram os mais consumidos pelos brasileiros em 2017. De 1,8 milhão de toneladas vendidas ao longo do ano, os produtos doces do tipo rosquinhas, bolacha de maisena ou Maria responderam por 37,6% do volume vendido no Brasil no ano passado, de acordo com a segunda edição da pesquisa encomendada à consultoria Kantar Panel pela Abimapi (Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias, Pães e Bolos Industrializado). Essa preferência equivale a 676 mil toneladas.

Em seguida, a preferência passa pelos biscoitos sequinhos e salgados, registrando participação de 33,81 do total. Os recheados aparecem bem atrás, equivalendo a 20,5%, em função de leve desaceleração nas compras em relação à pesquisa de 2016. Como são mais caros, os recheados tendem a ser mais consumidos conforme a economia melhora, recompondo o poder de compra das famílias.

Norte e nordeste representam as regiões que mais consomem biscoitos no país. Juntas sustentaram um mercado de 710 mil toneladas. Só que diferentemente das outras seis macrorregiões pesquisadas, os moradores do norte e do nordeste preferem os biscoitos salgados secos, como as bolachas cream cracker ou de água e sal. Por lá, esse tipo de biscoito corresponde a 42,6% do total consumido, revela a pesquisa. Nos demais mercados, os mais comprados são os biscoitos doces.

Ao traçar o perfil do consumo de biscoitos no Brasil, a consulta mostra que são mulheres, de 30 a 39 anos, casadas e com crianças pequenas em casa, das classes D/E moradoras de cidades das regiões norte e nordeste e com família com cinco ou mais pessoas são as que mais compram. Para os recheados, o perfil é semelhante, com a diferença de que pertencem à classe C e com famílias menores (três quatro pessoas), diz o levantamento da Abimapi.

Para a pesquisa de 2017, a Kantar Panel o estudo analisou durante 2017 uma mostra de 11,3 mil lares que representam um universo de 53 milhões de famílias, espalhadas por sete macrorregiões segmentadas em Norte e Nordeste, Centro-Oeste, Leste (Minas Gerais e Espírito Santo) e interior do Rio de Janeiro, Grande Rio de Janeiro, Grande São Paulo, interior de São Paulo e Sul.

De acordo com dados da Abimapi, as vendas de biscoitos no mercado brasileiro somaram receita de R$ 24,05 bilhões, em 2017, dos quais os recheados doces representam a principal participação, sustentando R$ 6,23 bilhões.