Bolo de rolo prepara versão sem glúten

Empresa procura local próximo da fábrica atual para fazer a receita que levará farinha de arroz no lugar da de trigo.

Com a produção estável em 10 mil bolos por mês, a empresa Casa do Bolo de Rolo decidiu introduzir novidades ainda este ano. Desde o início de 2017, vem participando de feiras como a Expo Brasil Chocolate e a Cake Design Expo, que terminam nesta terça-feira, 8 de agosto, na capital paulista, para divulgar a marca e o produto, bolo típico de Pernambuco. O próximo passo em 2018 será lançar a versão sem glúten, conta Oliveira Joaquim Cristovam, pernambucano que casou e mudou há 20 anos.

De Recife, o casal decidiu empreender juntos em São Paulo produzindo por aqui os bolos que os turistas traziam na mala. A fábrica fica em São Caetano do Sul, cidade que integra a região metropolitana de São Paulo, e abastece supermercados, empórios e padarias da capital, como Pão de Açúcar, St. Marché, Santa Luzia e até o cardápio da Fundação Oscar Americano. Atualmente, são 30 funcionários. E, ao contrário do que se possa imaginar, boa parte deles são homens.

Para fazer a versão sem glúten do bolo de rolo, que leva farinha de arroz na composição, Oliveira está procurando um imóvel próximo da fábrica atual, porque não é possível fazer as duas receitas no mesmo lugar. É preciso evitar a contaminação cruzada das duas farinhas, explica o empresário.

Atualmente, o bolo de rolo tradicional é comercializado em dois tamanhos pela empresa. Tem o maior de 360 gramas e uma embalagem menor de 80 gramas, na versão tradicional, enrolado com fina camada de goiabada derretida, ou na variação com doce de leite. Sob encomenda, a empresa faz sua versão para substituir o bem casado, como lembrancinha, e de naked cake, que em vez de enrolar, empilha a finíssimas camadas de bolo unidas pela goiabada.