Anvisa proíbe venda de alimentos infantis

Por falta de registro sanitário, que é obrigatório, seis empresas tiveram vetados produtos que atendem crianças até os três anos.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) proibiu a fabricação, distribuição, comercialização e divulgação de alimentos infantis de seis empresas por falta de registro sanitário. A Anvisa esclarece que por se tratar de alimentos de consumo direto ou empregado em preparos caseiros para crianças de zero a três anos de idade, e por fazerem parte da adaptação progressiva aos alimentos comuns, é obrigatório que esses alimentos tenham registro sanitário.

Confira os alimentos proibidos
.: Marca Pratinho Cheio, de Curitiba/PR: cremes, papinhas, purês e pratos prontos (fases 1, 2, 3 e júnior).

.: Marca Gourmetzinho, de São Paulo/SP: papinhas fase 1 (+6 meses) e papinhas fase 2 (+9 meses). Fica de fora sopinha de peito de frango, feijão branco e espinafre ).

.: Marca Da Hortinha, de Aracaju/SE: papinhas e comidinhas.

.: Marca Prapapa, de São Paulo/SP: sopas sem pedaços (a partir do 6º mês), sopas com pedaços (a partir do 9º mês) e comidinhas (a partir de 1 ano).

.: Marca Semente do Bem, de Aracaju/SE: sopinhas, comidinhas e lanchinhos.

.: Marca Papitta, de São Paulo/SP; Papitta 1ª Fase (a partir de 6 meses), 2ª Fase (a partir de 8 meses) e sobremesas (a partir de 6 meses).