QR Code no leite vai além do rótulo impresso

Tecnologia desenvolvida pela SIG Combibloc e adotada pela cooperativa Languiru permite que consumidor receba informação exata de cada produto por meio do celular.

Desde o início de junho, a gaúcha Cooperativa Languiru passou a adotar uma tecnologia inédita, que permite rastrear rapidamente cada caixa de leite que sai de sua produção e garante ao consumidor a possibilidade de obter dados do produto usando apenas o celular.

Pela tecnologia desenvolvida pela empresa de sistemas de envase SIG Combibloc, ao aproximar o smartphone, o comprador obtém dados como composição nutricional, data de fabricação, data do vencimento, processo industrial, informa o presidente da Languiru, Dirceu Bayer. Cada caixa é analisada individualmente no momento do envase trazendo a composição exata do produto que contém e o QR code é inviolável, utiliza uma tinta especial que não se consegue apagar, diz Bayer.

Para ter acesso a informações, basta que o consumidor baixe no smartphone um aplicativo de leitor de QR code, informa a SIG Combibloc. Por meio de um QR code único, que armazena todo o histórico do produto da fazenda ao ponto de venda, e do processo produtivo, é possível comprovar as características de qualidade e a origem das matérias-primas e embalagens, protegendo o produto de possíveis fraudes, destaca a SIG.

Por enquanto, o recurso está sendo utilizado para os leites em embalagem UHT nas versões integral, desnatado, semidesnatado, zero lactose, e bebidas lácteas UHT com chocolate. Mas a intenção é estender a iniciativa a outros produtos da cooperativa como aves e suínos.

PIONEIROS

“Somos os primeiros do mundo a utilizar essa tecnologia que permite saber em questão de segundos onde cada caixinha está”, afirma Bayer. De acordo com a SIG, a nova tecnologia será exportada para 39 países nos quais a empresa tem operação. Outro recurso disponível para os fabricantes é que os QR codes únicos simplificam e possibilitam a customização de promoções. Para tanto, a SIG desenvolveu um aplicativo de modo que o fabricante tenha a seu alcance uma base de dados para análise de marketing e vendas.

A SIG destaca que a nova plataforma digital atende três tendências do mercado: conectividade, com os consumidores interessados em receber informações em qualquer lugar e a qualquer momento; autenticidade e confiança, por meio de total transparência de informações de qualidade e segurança alimentar e procedimentos para evitar fraudes; e a busca por produtos naturais com certificado de origem e livres de produtos químicos.

“Em um momento no qual existe uma crise generalizada de falta de confiança, nossa cooperativa lança esse produto mostrando que há empresas sérias e comprometidas com o consumidor”, afirma Bayer, acrescentando tratar-se de um benefício para todos, para o consumidor e para o cooperado, uma vez que um plus que a cooperativa consiga nos preços com a inovação vai beneficiar os cooperados. “Sabemos que temos qualidade, nunca tivemos problemas, agora conseguimos mostrar isso para o consumidor com maior transparência.”

ATUAÇÃO NO SUL DO PAÍS

A Languiru completa 62 anos de atuação em novembro próximo, atende principalmente o mercado gaúcho e parte do catarinense, realiza 5 mil análises de amostrar por dia e processa 370 mil litros de leite diariamente. Na safra, esse total sobe para 450 mil litros por dia. Leite, aves e suínos são responsáveis pela principal parte da receita, mas a Languiru tem ainda outros negócios como uma fábrica de fertilizantes, agrocenteres e supermercado que garantem faturamento anual de R$ 1,27 bilhão.

São quase 3 mil colaboradores e 6 mil associados. Trata-se da segunda maior cooperativa do Rio Grande do Sul na pequena propriedade, ou seja, que reúne produtores que têm, em média, menos de 10 hectares por propriedade.

GALERIA DE FOTOS 

previous arrow
next arrow
Slider