Cultivo de horta a distância atrai consumidores

Plataforma brasileira permite escolher produtos a serem plantados e batizar galinhas, acompanhando as atividades pela web

O negócio nasceu há pouco tempo, em maio, mas a plataforma Garde Manger conta atualmente com 25 clientes cadastrados e aproximadamente cem compradores eventuais, que adquirem produtos pelo site. Todos interessados em receber alimentos frescos e sem agrotóxicos. Criada pelo engenheiro francês Antoine Dubacq, o site permite que as pessoas se cadastrem para ter a própria horta e mesmo batizar uma galinha, o custo varia de acordo com o tamanho da plantação, de R$ 250 a R$ 450 mensais. A produção de hortifrútis e de ovos é entregue semanalmente na casa do cliente, que pode monitorar tudo pela internet.

Se o cliente tiver que viajar ou não quiser ficar com toda a produção ou se preferir ficar com pelo menos parte dela, a plataforma oferece a opção de venda em uma feira virtual, da qual participam também compradores que não têm horta própria. O vendedor recebe créditos para futuras compras. Para comprar, os não cadastrados podem adquirir um pacote de créditos, que serão utilizados para aquisição dos itens.

Por enquanto, o serviço atende um raio de 5 quilômetros na zona oeste paulistana e uma parte do centro da cidade. Uma central do site recebe toda produção vinda de uma fazenda em Tatuí, distante cerca de 140 km da capital, e depois a entrega é feita por motoboys, para garantir agilidade, já que se tratam de produtos sensíveis, diz Dubacq. A expansão do serviço depende da formação de um número mínimo de clientes por região, que viabilize o gasto com frete, cerca de 15 consumidores, calcula o engenheiro.

COMO FUNCIONA

Para quem quer investir na própria horta são oferecidas as opções P, M, G, de acordo com a quantidade de itens a serem plantados, com 20, 30 ou 50 escolhas, diz Dubacq. O cliente pode optar por uma horta nova, da qual escolherá todos os produtos, ou por uma pré-formada, que já tem plantados alguns itens mais consumidos como tomate, batata, cebola. Se decidir começar do zero, terá de esperar um pouco mais para começar a receber as hortaliças, mas o pagamento só começa quando for feita a primeira entrega, informa a empresa.

A gama de produtos disponíveis pela plataforma varia de acordo com condições climáticas ou o melhor período para o plantio do item. A escolha é feita a partir do site e a lista é atualizada sempre que necessário. Alguns produtos, principalmente os maiores, que podem não ter um bom desenvolvimento na horta individual como melancia e abóbora, são plantados em uma área especialmente voltada para esse fim, também há produção extra de hortifrútis e de ovos para garantir uma entrega mínima.

“Garantimos um mínimo de recebimento de colheita por cliente. Isso protege a pessoa caso ocorra algum tipo de praga, porque não usamos agrotóxico”, afirma o empresário. A área total da fazenda em Tatuí é de cerca de 4 mil metros, aproximadamente mil plantados com horta, o restante inclui outros espaços como o galinheiro e o pomar.

O projeto começou a ser estruturado há dois anos, quando o engenheiro francês conversava com um amigo sobre a falta que fazia ter uma horta, como tinha na França. Especializado no desenvolvimento de software, Dubacq decidiu criar a plataforma, mas gastou boa parte do tempo para adquirir mais conhecimento sobre o cultivo. O interesse obrigou o engenheiro a suspender a formação de novas hortas por dois meses para atender a demanda, conta. Agora já voltou a aceitar novos pedidos.

GALERIA DE FOTOS 

previous arrow
next arrow
Slider