Como fazer verduras e legumes durarem mais

Especialista dá dicas para evitar desperdícios de alimentos, do que pode ser lavado antes, do que não precisa de geladeira

Frutas, verduras e legumes são produtos sensíveis, frágeis e assim como nós, possuem recursos para sua proteção como a casca e a cera que não vemos, mas cobre as hortaliças. Qualquer machucado pode provocar perda de nutrientes ou mesmo apodrecimento e contaminação dos hortifrútis. Assim, quando trazemos frutas, legumes e verduras da feira ou do supermercado são recomendados alguns cuidados no armazenamento. Mais uma vez, a pesquisadora da Embrapa Hortaliças especialista em pós-colheita Milza Moreira Lana informa ao MeuCardápio algumas dicas para melhor conservação desses alimentos.

VERDURA: Se estiver molhada é bom escorrer o excesso. As hortaliças em geral são muito resistentes a água, mas se tiverem um machucado, um quebrado, um amassadinho, o melhor é não deixar a água livre. Para guardar envolva a hortaliça em papel toalha ou em um pano de prato limpo, e coloque dentro de uma vasilha fechada. O papel toalha ou o pano de prato absorvem o excesso de água, sem retirar a umidade. Não seque completamente as folhas antes de guardar. Sem umidade, a verdura vai murchar muito rápido. No caso de uma verdura hidropônica, o ideal é molhar a raiz que vem com o substrato e deixar em uma vasilha tampada até o momento do consumo. Só lave o que for consumir no dia, evitando deixar guardada verdura lavada por muitos dias.

LEGUMES: Com casca lisa, caso da berinjela, do pepino, do jiló, do tomate, pode lavar, enxugar bem e guardar. Outras hortaliças como alcachofra, brócolis, couve flor, aspargos e semelhantes não devem ser guardados lavados, por ser muito difícil lavar sem machucar e secar corretamente.

HIGIENIZAR: O melhor produto para fazer a sanitização dos hortifrútis é o hipoclorito de sódio. Cuidado com a recomendação de usar água sanitária, porque atualmente esses produtos não são mais elaborados exclusivamente com o hipoclorito de sódio e contêm outros químicos não recomendáveis para alimentos. Como o cloro vai oxidar as partes quebradas da verdura, a especialista recomenda que a sanitização seja feita quando se vai consumir o alimento, ou no máximo pela manhã para consumir a noite. Muito utilizado, o vinagre não tem a mesma eficiência do hipoclorito e também pode interferir na qualidade do alimento que for ficar por muito tempo na geladeira.

NA GELADEIRA: Aliada contra o desperdício do alimento. Não demore para guardar os alimentos que devem ir para geladeira. “O frio é a melhor tecnologia que temos para desacelerar a perda. Chegando em casa e colocando os produtos na geladeira você vai ter uma melhor qualidade quanto ao valor nutricional, vai ter menos perdas. Quando vai se consumir o produto no mesmo dia, não há tanto problema ficar fora, mas o Brasil é um país muito quente e quando o hortifrúti chega às nossas mãos já passou por diversas etapas, produtor, Ceasa, varejo, então quanto maior o cuidado com a conservação, melhor”, explica Milza.

FORA DO REFRIGERADOR: Não precisam ir para geladeira alimentos que são naturalmente órgão de reserva, diz a especialista. É o caso da batata, do alho, da cebola, do inhame e do cara. A umidade na geladeira pode acelerar a brotação e favorecer o apodrecimento. O recomendável é serem conservados na área mais fresca e escura da cozinha, protegidos do vento. Mas, se forem cortados, precisam ir para a geladeira.