Caem as vendas em hiper e supermercados

Salário, desemprego e Páscoa afetaram resultados do varejo desse setor, diz IBGE.

A queda no volume de vendas de hiper e supermercados no mês de março teve forte impacto no resultado do comércio varejista brasileiro, que registrou recuo de 1,9% em volume e receita na comparação com fevereiro, de acordo com pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Na mesma comparação, as vendas de hipermercados, supermercados, de produtos alimentícios, bebidas e fumo caíram 6,2% em volume e a receita nominal ficou 8,9% menor. No trimestre a queda em volume foi de 3,1% e em receita de 5,6%.

A comparação com igual mês do ano passado mostra que, enquanto o varejo geral teve redução de 4% em volume de vendas, o segmento registrou recuo de 8,7%. Nesse comparativo Goiás (-27,4%), Espírito Santo (-23,1%) e Distrito Federal (-22,1%) tiveram as maiores perdas. Em São Paulo, a queda foi de 17,4%. Santa Catarina foi o destaque positivo com alta de 27,5%.

De acordo com o IBGE, além do rendimento médio e da taxa de desocupação, interferiu nesse resultado o fato de a Páscoa ter sido comemorada em março no ano passado.