Flores comestíveis emprestam sabor e beleza

A primavera chegou e a estação atrai o uso de ingredientes inusitados, que valorizam preparações de saladas e bebidas, mas exigem cuidados.

Flores comestíveis emprestam sabor e beleza

Flores comestíveis nunca são os ingredientes principais das receitas. Funcionam como coadjuvantes que valorizam preparações de saladas, sobremesas, bebidas e outros pratos. Virou moda no ocidente com a difusão da culinária asiática. O uso também tem a ver com o resgate da culinária local. Por exemplo, a valorização das Pancs (Plantas Alimentícias Não Convencionais), que abriu espaço para as experimentações.

A chegada da primavera estimula o uso de flores comestíveis. Elas acrescentam sabor, textura e cor aos pratos. Uma simples salada de folhas verdes ganha charme extra com uma flor de capuchina colocada por cima de tudo. No entanto, é preciso cuidado para saborear.

Não adianta ir até a floricultura mais próxima e comprar um buquê. Ou ir até o jardim ou à horta e arrancar alguns exemplares. O uso culinário exige flores que não sejam tóxicas. E raramente o cultivo para uso ornamental é orgânico. Quase sempre emprega fertilizantes, adubos e outros químicos para controle de pragas.

Mesmo em casa, o risco são os animais domésticos, que podem infectar os canteiros com fezes e urina. Como não dá para arriscar, a saída é comprar de produtores que cultivam as flores para uso culinário.

Alguns mercados já começam a incluir alternativas em embalagens plásticas, encontradas junto da área de verduras. Da mesma forma, o setor de flores de algumas centrais de abastecimento de grandes cidades dedicam espaços exclusivos.

OPÇÕES NO DELIVERY

A LivUp anunciou que incluiu tagetes e minos nas saladas do cardápio de primavera, que começa em 22 de setembro. “Estamos convidando as pessoas para irem ainda mais fundo nessa relação com a estação e vamos apresentar flores comestíveis em todas as nossas saladas. Vamos alimentar o nosso corpo com essa energia que a primavera nos traz. Flores são alimentos naturais super nutritivos e saborosos, que têm tudo a ver com o DNA da Liv Up”. A declaração é de Tatiana Lanna, business owner do delivery de saladas da empresa. Consta de nota à imprensa.

Atualmente, a LivUp atende em torno de 50 cidades brasileiras, com refeições e porções ultracongeladas, snacks, sucos, lanches e pastas. Segundo a empresa, todos feitos com ingredientes naturais, sem aditivos e conservantes.

CINCO FLORES COMESTÍVEIS MAIS COMUNS

Para começar a testar flores comestíveis, opte pela segurança. No mercado, só são vendidas as partes que podem ser consumidas.

A mais comum é a Capuchinha. De sabor levemente apimentado. Lembra o gosto do agrião. Serve para saladas e outros pratos frios. Aromatiza vinagres. Conforme a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, as folhas servem para saladas cruas, massas verdes, patês, panquecas, charutinhos, pizza. “Os pecíolos em cozidos, risotos, bolinhos e refogados”, ensina a secretaria. Os frutos verdes, quando em conserva, substituem a alcaparra. Quando maduros, podem ser tostados e utilizados como se faz com a pimenta-do-reino.

Flor de abobrinha. Não é tão fácil de achar, mas é uma das poucas que resiste bem ao calor. Para fritar. Na maioria dos casos, as flores comestíveis são colocadas pouco antes de servir, de modo a se manterem frescas.

Violetas. Alguns tipos se prestam a preparos variados. De balas a geleias, passando pelo licor. É uma das guloseimas que fazem a fama, por exemplo, da cidade francesa de Toulouse.

Amor-Perfeito. Serve para saladas, doces, bebidas e sopas. Ou, assim, apenas para decoração do prato.

Rosas. Nem todas as espécies se prestam ao uso culinário. Mas pétalas de rosas são comumente usadas na cozinha árabe. Por exemplo, para o preparo de água de rosas, que funciona como uma calda sobre doces típicos. Serve para aromatizar também o leite.

RECEITA DE GELATINA COM FLORES

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo publicou receita de gelatina com flores. Leva amor-perfeito, violeta, capuchinha ou pétalas de calêndula.

Usa 1 colher (sopa) de gelatina em pó, sem cor e sabor.

3 colheres (sopa) de água.

1/2 litro de suco adoçado a gosto. De preferência de cor clara, para que as flores apareçam.

Aquecer o suco de fruta adoçado até levantar fervura. Para, em seguida, reservar até ficar morno.

Dissolver a gelatina em pó na água. E, em seguida, acrescentar o suco de fruta morno, misturando bem.

Preencher um terço das forminhas de gelo ou de uma tigela. E, assim que completar, levar à geladeira para solidificar.

Colocar as flores viradas para baixo e preencher o restante das forminhas ou da tigela. E colocar de volta na geladeira.

Desenformar na hora de servir. Receita rende meio litro de gelatina.