Ervas e especiarias classificadas de A a Z

Tereza Cury, da Companhia das Ervas, dá dicas e informações sobre diferentes plantas e as melhores combinações para utilizar, especialmente para o portal MeuCardapio.

Ervas e especiarias classificadas de A a Z

Ervas e especiarias são aliadas importantes na cozinha para dar aquele toque especial, sabor diferenciado e muitas vezes exclusivo, que resulta em elogios. “O papel das ervas e das especiarias na cozinha é enriquecer o sabor dos alimentos e aumentar o nosso prazer gustativo, quer em refeições do dia a dia ou em pratos mais exóticos”, afirma Tereza Cury, da Companhia das Ervas.

As ervas são folhas de plantas, frescas ou secas. As especiarias são as partes aromáticas de plantas tropicais: rebentos, frutos, bagas, raízes ou cascas, normalmente secas, explica a especialista.

“O uso das ervas e das especiarias de cada região do mundo foi determinado, principalmente pelo que a natureza oferece, dependendo do clima e do solo. Por esse motivo é que os pratos da cozinha mundial são caracterizados por combinações específicas de ervas, especiarias e temperos e definem a culinária de cada país”, diz Tereza.

No Brasil já encontramos grande variedade. Tereza nos traz mais informações sobre algumas dessas ervas e especiarias. Confira a seguir:

– A –

Açafrão

É o estigma ou pistilo retirado da flor chamada ‘croco’. São necessárias 250 mil flores para se extrair 500 gramas de estigma, o que justifica seu alto preço. Produzido na Espanha, na Itália e no Irã. O mais utilizado no Brasil é o espanhol. Essa especiaria é encontrada em pó ou o próprio estigma. Entra em pratos com peixes como a paella, a zarzuela e o bouillabaisse. Também em pães, bolos e risotos.

Açafrão da terra ou cúrmuma

Raiz de uma planta da família do gengibre de cor amarelo alaranjado. Cultivado em países de clima tropical. Essa especiaria é usada na coloração de alimentos como arroz, ensopados, caldos e pães em geral. Tem sabor, aroma e custo muito diferente do açafrão.

Aniz estrelado

Com forma de estrela, essa especiaria é usada em pratos orientais que levam na preparação porco, pato, galinha ou vegetais; pratos temperados com molho de soja. Também no preparo de doces. Pode ser acrescentada ao chá mate dando um sabor especial.

Aipo ou aipo rábano

Raiz da família do salsão que é usada, após desidratada e transformada em pó, no tempero de salada de folhas e legumes, em molhos de tomate, sopas e caldo verde.

Alecrim

Erva de sabor acentuado que deve ser usada com discrição em legumes, como batatas, aves, carnes de caça e em especial no assado de cordeiro.

Alho

Base do tempero da cozinha moderna. É apropriado para carnes em geral, molhos e massas.

– B –

Baunilha

Vagem de uma orquídea trepadeira. A maneira mais comum de usar é cortando a vagem ao meio e raspando a polpa interna para acrescentar em receitas doces de bolos e pudins. A vagem pode ser ainda guardada junto com açúcar para incrementar preparações ou apenas para adoçar o leite, o café ou o chocolate quente.

Beterraba

Após desidratada e transformada em pó, pode ser usada como corante natural de massas, pães, purês, arroz e patês.

– C –

Canela em pó ou em pau

Usada para aromatizar calda de doces, frutas assadas, especialmente banana e maçã, no arroz doce e como tempero de receitas salgadas como carnes de caça.

Cardamono

Especiaria proveniente da Índia. É usada em bolos, bolachas, licores, café e conservas de arenque. Seu sabor cítrico lembra uma mistura de gengibre, canela e limão, surpreende o paladar se usada em carnes exóticas ou salada de frutas.

Cebola

Indicada para uso em qualquer composição de molho ou tempero líquido, que permita que ela se hidrate. É importante no tempero de carnes em geral.

Cebolinha verde

Erva de sabor delicado e agradável que pode ser usada nos mais variados pratos como molhos, patês, massas, omeletes, carnes e peixes. Pode-se usar também para decoração de pratos.

Cheiro verde

Mistura das ervas salsa e cebolinha verde muito usada na gastronomia brasileira. É usada na maioria dos pratos tanto decorando como dando especial sabor.

Colorífico ou Colorau

Especiaria cuja base é o urucum e usada como corante natural. Dá uma cor avermelhada em ensopados, molhos e arroz. É também usada em patês e carnes em geral.

Coentro

Podemos utilizar a folha dessa planta e suas sementes. Essa erva ou especiaria é usada em pratos com peixes e frutos do mar. Indispensável na moqueca de peixe e camarão.

Cominho

Semente que pode ser usada também em pó. Tem aroma e sabor marcante, por isso precisa ser usado com parcimônia. É ingrediente básico da culinária nordestina e da mexicana, usado em carnes, peixes, legumes e ovos.

Cravo

É o botão de uma flor colhida antes de desabrochar. Usado em caldas de doces, em tortas, biscoitos, pão de mel, bolachas, bolos e bebidas, como o quentão ou chás.

Curry

Condimento à base de uma mistura de várias especiarias. É um ingrediente tradicional nos pratos da Índia. Encontrado com grande variação na sua composição. A quantidade de cada ingrediente da mistura é determinada pelo prato ou receita no qual será utilizada. Tem curry mais picantes que outros, com mais ou menos açafrão da terra ou cominho. Indicado em receitas com frangos, carnes e legumes. De sabor marcante e inconfundível.

– D –

Dill ou Aneto

Erva de sabor delicado usada na culinária européia em legumes, peixes, queijos e omeletes. É o ingrediente básico para o tempero do salmão.

– E –

Endro

Semente da planta do dill. Utilizada no tempero de peixes, chucrutes, sopas, saladas e patês. Entra na composição da calda de picles e frutas em calda.

Erva Doce

Semente usada para chás, em biscoitos, bolos, pães, tortas de frutas, maçãs assadas e caldas de doces.

Ervas de provence

Mistura de ervas tipicamente francesas, da região de Provence, daí sua denominação. Cada chef e cada receita têm seu segredo quanto à variação e proporções de cada erva. O uso é indicado em receitas com legumes e verduras, pratos com ovos, frango e peixe. Deve-se acrescentar esse ingrediente somente ao servir para realçar o seu sabor.

Espinafre

Verdura que após ser desidratada e transformada em pó é usada como corante natural na confecção e coloração de massas, pães, arroz, purês.

Estragão

Erva originária da Sibéria. Tem um nobre aroma, sabor fino e penetrante, muito usado na cozinha francesa. Acompanha bem saladas, sopas, molhos e peixes.

– G –

Gengibre

Raiz de sabor e cheiro fortes, mas agradáveis. Pode ser usada em biscoitos, bolos como no tempero de carnes de porco, aves e peixes.

Gergelim

São sementes com rico sabor que lembra nozes. Podem ser usadas cruas sobre pães, bolachas e tortas antes de levá-las ao forno. Podem ser torradas, em frigideira ou forno, e usadas em canapés, saladas e arroz.

– H –

Hortelã

Erva de sabor mais suave do que a menta, é indicada para chás, saladas, molhos e principalmente em pratos da cozinha do oriente médio. Usada também no tempero de carnes.

– K –

Kümmel

Especiaria conhecida também como alcarávia. Essa semente está presente na cozinha alemã. É usada para aromatizar bolos, pães, batatas, legumes e cogumelos e em carnes gordas, pato e ganso.

– L –

Louro

Erva usada como aromatizante no tempero de carnes, vinha d’alho e marinadas. Indicada para aliviar o aroma forte de carnes de caça, rabada, mocotó e dobradinha.

– M –

Manjericão

Foi denominada ‘erva dos reis’ na antiga Grécia. Tem sabor muito especial e acompanha bem tomates, seja em salada ou em molhos. Usada na pizza Marguerita e é o principal ingrediente do molho pesto

Manjerona

Erva da família do manjericão e do orégano, com sabor e aroma muito requintados. Entra no final do cozimento de carnes e molhos.

Mostarda

Os grãos dessa especiaria são usados para aromatizar conservas e chutneys. Também são usados em molhos para saladas de verduras e legumes e carnes bovinas e suínas.

– N –

Noz Moscada

Especiaria usada em vários tipos de molho sendo a base do molho béchamel (branco). É indicada ainda para o tempero de carnes em geral e em doces.

– O –

Orégano

Do grupo de ervas e especiarias mais conhecidas e mais usadas na cozinha brasileira: em pizzas, saladas, molhos de tomate e aperitivos. É cultivada no Chile e na Turquia.

– P –

Papoula em semente

Tem sabor agradável e crocante. Esta especiaria é confundida com a semente de papoula utilizada na obtenção do ópio, o que causa dificuldades de liberação de sua venda. É usada em pães, tortas, biscoitos e salgadinhos bem como para decorar pratos.

Páprica doce e picante

Especiaria obtida a partir da desidratação e moagem de um tipo especial de pimentão originário da Hungria e da Espanha. Existem duas variedades: a doce e a picante. Entra como tempero de carnes bovinas, suínas e de aves. É ingrediente indispensável do gulash e pode ser usado para decorar maioneses e outros pratos.

Pimenta caiena

É uma variedade da malagueta. Além de saborosa, é a pimenta que concentra a maior quantidade de vitaminas, sendo utilizada em pratos que requerem sabor bem picante como os da culinária mexicana.

Pimenta Chili

Outra variedade da malagueta. É usada seca substituindo a pimenta vermelha in natura, porém, com parcimônia, pois seu ardume é intenso, embora saboroso.

Pimenta Jamaica

Muito aromática essa especiaria é a baga de uma árvore. Seu sabor é nada picante, mas lembra canela, noz moscada e pimenta do reino de forma sutil, por isso também é conhecida por ‘all spice’, reunião de várias especiarias. As melhores vêm da Jamaica, país responsável pelo abastecimento mundial. O ideal é usá-la moída na hora. Indicada para conservas, marinadas de frutos do mar, carnes de caça, charcutaria, doces e tortas.

Pimenta do reino preta, branca, verde e fresca

Considerada a ‘rainha das especiarias’, é a baga de uma trepadeira cultivada no norte e no nordeste do Brasil. Os grãos podem ser usados inteiros ou moídos no momento do uso para aproveitar melhor o aroma e o sabor. A cor determina a variedade. Usa-se a mistura das diferentes formas desta pimenta (mix de pimentas do reino) para diferentes pratos.

Pimenta do reino preta

Colhida verde e desidratada.

Pimenta do reino branca

Colhida madura e passa pelo processo de desidratação.

Pimenta do reino verde

Colhida verde e passa pelo processo de liofilização.

Pimenta do reino fresca

Colhida verde e mantida na salmoura, sendo ingrediente principal no prato ‘steak au poivre’.

Pimenta síria

Usada para condimentar prato da culinária árabe como quibe, esfiha, carnes para recheio de charuto, legumes recheados e outros pratos. Não tem ardume algum e é extremamente aromática.

Pimenta rosa

Os grãos são frutos da árvore aroeira. Seu aroma é marcante, por isso deve-se usar com moderação. Porém, não tem ardume e sua cor enriquece a apresentação de qualquer prato. É necessário ativar o óleo essencial contido nas sementes desta pimenta para usufruir ao máximo seu aroma e sabor.

Pimenta Calabresa

Obtida a partir da desidratação e da flocagem da pimenta vermelha. É muito usada na culinária brasileira principalmente nas chamadas ‘comidas de botequim’. Usada na composição de lingüiças e outros embutidos , no tempero de carnes bovina, suína e frango.

Pinhole

De origem turca, é o fruto de uma variedade de pinheiro usado nas cozinhas italiana e árabe. É um complemento riquíssimo de pratos como quibe, esfiha e o ingrediente indispensável do molho pesto. Pode ser usado em saladas de folhas após ser tostado na frigideira.

– R –

Raiz forte

De sabor penetrante, forte e de aroma muito picante. Usada na culinária japonesa para acompanhar o sushi e o sashimi. Para se obter a pasta, deve-se misturar quantidades iguais de pó e água fria e mexer bem. Levar a mistura por dez minutos na geladeira para que o sabor se desenvolva.

– S –

Salsa

Erva tradicional da cozinha internacional. Usada em molhos, omeletes, suflês, carnes e nas mais diferentes receitas, inclusive para decorar pratos

Sálvia

Pertence àquelas ervas e especiarias muito difundidas na cozinha européia. Muito aromática e de sabor levemente azedo, fica excelente no tempero para carnes de cordeiro, cabrito e aves. É indicada também para massas, molhos e queijos.

Segurelha

Erva de sabor acentuado que lembra a combinação do orégano com a menta. Muito usada na culinária italiana, sendo ideal para saladas, tempero de carnes e vegetais.

– T –

Tomilho

Erva que lembra o sabor e aroma do orégano, embora mais leve na digestão. É usada em sopas, aves, saladas e pratos à base de tomate em geral.

– Z –

Zattar

Mistura de ervas e especiarias usada na cobertura do queijo chancliche (ou shanclish), podendo ser polvilhada sobre queijos brancos ou para condimentar azeite e ser degustado com pão e ainda como recheio de esfihra.

Zimbro

Fruto de um pequeno arbusto, de sabor aromático e levemente picante. É a matéria prima da bebida Genebra por isso é usado para aromatizar outros ‘Spirits’ nos Países Baixos e Alemanha. É usado em embutidos e no chucrute.

GALERIA DE FOTOS

previous arrow
next arrow
Slider